7 hábitos de pessoas altamente eficazes

justus-menke-YGBYROFge3c-unsplash
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

 

 

Um best-seller traduzido para 38 idiomas, com mais de 15 milhões de exemplares vendidos no mundo inteiro. Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes, um livro de Stephen Covey, é um dos grandes clássicos sobre desenvolvimento pessoal e negócios. Os temas abordados no livro são atuais e necessários.

 

Então se você ainda não leu, leia! Enquanto isso, vou fazer um resumo bacana pra vocês, ok?!

 

A primeira e valiosa lição que o autor compartilha conosco, é que para haver uma real mudança em sua vida, ela precisa ocorrer de dentro para fora. Ou seja, é através da sua transformação que o mundo será transformado.

 

Além disso, Covey define um hábito como a junção entre conhecimento, habilidade e desejo. Ou seja, os três elementos envolvem o que fazer e porquê (conhecimento), como fazer (habilidade) e o querer fazer (desejo).

 

Para ser uma pessoa altamente eficaz, é necessário estar disposto a adotar e aceitar todas as mudanças necessárias. São os hábitos que te encaminham para uma trilha de resultados positivos.

 

Esses hábitos não são um conjunto aleatório de fórmulas milagrosas ou uma receita de bolo, mas eles compõem um processo de desenvolvimento e estimulação das pessoas.

 

Seja Proativo

Ser proativo significa tomar o controle da sua vida diante do mundo.

Ser proativo significa assumir a responsabilidade pela sua vida.

 

O primeiro hábito, portanto, só depende de você. O seu comportamento resulta das decisões que você toma, e não de fatores externos. Para uma pessoa proativa o mundo não dita o que ela deve fazer.

 

O seu maior poder é a liberdade de escolha!

 

Quando aceita que foi você quem criou a sua própria situação atual e que você é dono do próprio destino, você entende que é capaz de mudar o seu futuro.

 

Tenha um objetivo em mente

“No decorrer da viagem, Alice encontra muitos caminhos que seguiam em várias direções. Em dado momento, ela perguntou a um gato sentado numa árvore:

– Podes dizer-me, por favor, que caminho devo seguir para sair daqui?

– Isso depende muito de para onde queres ir – respondeu o gato.

– Eu não sei.

O gato, então, respondeu sabiamente:

– Sendo assim, qualquer caminho serve.”

 

Você precisa saber aonde quer chegar. Se você tiver um objetivo claro e definido é mais fácil adotar comportamentos que não te desviem do caminho.

 

Primeiro você define o que deseja, depois você planeja todas as atividades que serão necessárias para que se atinja o objetivo. Ter as respostas dessas questões é fundamental para um resultado de sucesso.

 

Primeiro faça o mais importante

Já deu para entender que a orientação aqui, é focar nas atividades mais importantes, né? Ou seja, aprender a priorizar.

 

A prioridade é aquilo que você definiu como de maior valor no hábito 2: o que você quer ser e/ou fazer. Perceba que pode se tratar de um grande projeto a longo prazo ou de uma reunião importante – para formar um hábito você precisa aplicar constantemente. 

 

Uma grande lição aqui é: aprenda a dizer não para todas as distrações que podem atrapalhar a realização da sua meta. O que significa dizer que, você deverá aprender a dizer sim para tudo o que faz parte da jornada de conquista do objetivo.

 

Pensamento Ganha-Ganha

Para o autor, o ganha-ganha é uma filosofia de interação humana que busca continuamente o benefício mútuo em todas as situações. Covey opina que, no longo prazo, todos perdem se um não ganha.

 

A cooperação é a chave para aplicar o modelo ganha-ganha, não dando espaço para a competição. 

 

A pessoa ou empresa que soluciona conflitos com uma abordagem ganha-ganha possui três características marcantes:

 

  • Integridade: Comportam-se de acordo com o que acredita e com os valores que defende.
  • Maturidade: Sentimento que prioriza a preocupação pelos outros, mais até do que por nós mesmos.
  • Mentalidade da abundância: acreditar que há muito para todos.

 

Entender, antes de ser entendido

Segundo Covey, a comunicação é a habilidade mais importante na vida. E isso não significa apenas saber falar, saber ouvir é o que permitirá entender o outro.

 

O autor explica que é raro encontrar pessoas que escutam com a intenção de entender. Geralmente as pessoas escutam com a intenção de responder.

 

Para Covey, cada relacionamento é como um tipo de conta bancária emocional que registra quanto cada pessoa tem investido nela. Quanto maior o equilíbrio nessa conta, melhor o relacionamento e a confiança entre as partes.

Assim, é muito mais fácil encontrar soluções ganha-ganha.

 

Criar Sinergia

Covey define sinergia como a percepção de que o todo é maior do que a soma das partes, exaltando o poder das relações interpessoais e da cooperação.

 

Sinergia significa que o todo é mais do que a soma das suas partes.

 

Pessoas altamente eficazes percebem que esforços conjuntos podem gerar resultados maiores e melhores do que iniciativas individuais. A sinergia faz com que você assimile novos pontos de vista e chegue em excelentes resultados trabalhando em conjunto.

 

O autor ressalta que o objetivo não é que todos concordem e cheguem a uma solução uniforme. O que se busca é uma solução única que aproveita o melhor de cada parte envolvida. Afinal, são as diferenças que realmente impulsionam a sinergia.

 

Calibrar é preciso

O sétimo hábito é essencial porque ele permite que todos os outros hábitos sejam possíveis.


Você precisa investir o máximo que puder no seu maior patrimônio: você.

 

A sua capacidade de produzir está ligada à sua “ferramenta de produção” (você), e a efetividade só é gerada quando se mantém o equilíbrio entre a produção e a capacidade de produção.

 

Logo, aqui é a parte que você cuida de sua saúde física, mental, social/emocional e espiritual.

Para ser uma pessoa altamente eficaz, é preciso cuidar do próprio corpo (com boa alimentação e descanso apropriado, por exemplo), praticar a espiritualidade (de acordo com crenças pessoais, não necessariamente são religiosas), exercitar a mente (consumindo bons conteúdos e explorando novos conhecimentos) e se dedicar às relações interpessoais (exercitando as boas convivências cotidianas).

 

O autor garante que viver os sete hábitos é uma luta constante para todos e que é normal escorregar. São hábitos fáceis de aprender, mas são difíceis de serem praticados.

 

Você deve continuar sempre cultivando esses hábitos pelo resto da sua vida e tudo mudará positivamente. O seu sucesso será só uma questão de tempo!

Compartilhe esse post com seus amigos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Este post tem um comentário

  1. Alessandro

    Quando fiz esse treinamento há 10 anos atrás, me deparei com uma pergunta que realmente mexeu comigo. “como vc se imagina daqui a 5 anos?”, percebi que eu precisava de um planejamento, de ter metas claras e fico. Por mais quentão tenha conseguido usar todas as ferramentas do treinamento no meu dia a dia, o conceito ficou muito claro e me ajudaram muito nos anos seguintes. Recomendo!

Deixe uma resposta