VEGETARIANISMO: UM ESTILO DE VIDA

VEGETARIANISMO: UM ESTILO DE VIDA

Recentemente, eu fiz uma live com uma grande ativista, Tieta Drummond (@tieta.drummond) sobre o estilo de vida dos vegetarianos – se você ainda não viu, corre lá no IGTV para assistir! – e eu gostei demais de conhecer e aprender um pouco mais sobre esse Lifestyle.

E, diga-se de passagem, esse modo de viver não é algo novo. Culturas antigas já praticavam o vegetarianismo por motivos de saúde, religiosos e econômicos.

Se considerarmos cenários futuros, provavelmente será necessária uma mudança no modo como nos alimentamos. De acordo com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, a humanidade precisa utilizar fontes nutricionais mais sustentáveis, priorizando a eficiência energética e a saúde global.

Mas antes da gente desenvolver um pouco mais, vamos ao básico. Pessoalmente, eu tinha dúvidas sobre a diferença entre Vegetarianismo e Veganismo. Você sabe qual é a diferença?

Então, eu vou te explicar:

 

VEGETARIANISMO

De acordo com a Sociedade Vegetariana Brasileira, vegetarianismo é o regime alimentar que exclui os produtos de origem animal. Ou seja, os vegetarianos não comem nada que tenha carne, aves, peixe, marisco, leite, ovos, mel ou subprodutos do abate de animais. Seja pelos animais, pela saúde, pelo meio ambiente ou por outros motivos.

Os principais tipos de vegetarianismo são:

  • Ovolactovegetarianismo: utiliza ovos, leite e laticínios na sua alimentação.
  • Lactovegetarianismo: utiliza leite e laticínios na sua alimentação.
  • Ovovegetarianismo: utiliza ovos na sua alimentação.
  • Vegetarianismo estrito: não utiliza nenhum produto de origem animal na sua alimentação.

 

VEGANISMO

Segundo definição da Vegan Society, veganismo é um modo de viver que busca excluir, na medida do possível e praticável, todas as formas de exploração e crueldade contra os animais - seja na alimentação, no vestuário ou em outras esferas do consumo.

Portanto, além da alimentação, também não consomem cosméticos e outros produtos que tenham compostos de origem animal ou que sejam testados em animais, e não frequentam locais como circos, zoológicos ou parques em que animais são usados como forma de entretenimento, por exemplo.

 

Parece difícil compreender os conceitos, mas na verdade não é. E curiosamente, outubro é o mês do vegetariano. Sabia disso?

Dia 1º de outubro se comemora o Dia Mundial do Vegetariano, abrindo assim o mês do vegetariano. A data é uma promoção da dieta vegetariana, que é mais saudável e ecológica.

Além disso, este dia também é importante para ativistas dos direitos dos animais e ambientais, que promovem o vegetarianismo para tentar salvar vidas de animais e a saúde do planeta.

O que nos leva a outro ponto muito bacana, que eu não fazia ideia. Olha só:

 

3 BENEFÍCIOS DA DIETA VEGETARIANA

  • É bom para o meio ambiente

Um exemplo bacana para isso é a produção da carne bovina. Essa produção requer até 20 vezes mais recursos e emite 20 vezes mais gases de efeito estufa do que a produção de vegetais.

  • É bom para a saúde

As dietas vegetarianas contêm variadas frutas, vegetais, grãos, leguminosas, nozes e sementes e, geralmente, envolvem o consumo de importantes nutrientes: fibras, ácido fólico, vitaminas... Tudo isso se traduz em colesterol mais baixo, risco reduzido de doenças cardíacas, pressão arterial mais baixa e corpo mais saudável.

  • Comida vegetariana é deliciosa

As dietas vegetarianas têm uma má reputação por serem sem sabor e repetitivas, mas isso não é a verdade. Praticamente qualquer vegetal pode ser transformado em pratos deliciosos e existe uma grande variedade de combinações e receitas criativas para se experimentar.

 

No fim das contas, ser vegetariano é mais fácil do que parece, não é mesmo?

E eu conheci uma campanha bem legal – inclusive, estou considerando pôr em prática:

 

SEGUNDA SEM CARNE

A Campanha Segunda Sem Carne se propõe a conscientizar as pessoas sobre os impactos que, o uso de produtos de origem animal para alimentação, tem sobre os animais, a sociedade, a saúde humana e o planeta. A proposta é substituir a proteína animal pela proteína vegetal pelo menos uma vez por semana.

Se você achou interessante, dá uma olhada no site da campanha: http://segundasemcarne.com.br/

Agora, me conta:

Você já fez alguma receitinha vegetariana por aí?

Já está considerando adotar esse estilo de vida?

 

Nas minhas pesquisas e estudos encontrei algumas indicações super válidas para conhecer e entender ainda melhor esse estilo de viver e consumir, e para pensar sobre as consequências de nossas ações em nosso planeta e em nosso corpo:

  1. Cowspiracy (Netflix)
  2. What the Health (Netflix)
  3. The Game Changers (Netflix)
  4. Minimalism (Netflix)
  5. Oceanos de plástico (Netflix)
  6. Kiss the Ground (Netflix)
  7. Comer Para não Morrer, Michael Greger (Livro)

Depois de tudo que ouvi, vi e li, acredito que esse movimento veio para ficar. Pessoas, políticas e empresas ao redor do mundo já se atentaram e se adequaram nesse estilo de vida.

E deu para perceber que a busca por saúde impulsiona a alimentação vegetariana - a nossa saúde e a do planeta também!


Categorias


Cadastre seu e-mail e receba as novidades.